Real sobe quase 100% em relação ao dólar no governo Lula

Moeda brasileira se valorizou 97,24% desde o início de 2003 até a semana passada.

Denize Bacoccina, BBC

15 Outubro 2007 | 14h20

O real teve uma valorização de 97,24% em relação ao dólar americano desde o início do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva até agora (de 31 de dezembro de 2002 até 12 de outubro de 2007), de acordo com um estudo da consultoria Economática.O levantamento aponta que o real é a moeda que mais se valorizou em uma comparação que inclui sete países da América Latina e a zona do euro.A moeda brasileira também teve uma valorização de 46% em relação ao peso chileno e ao peso colombiano.Em relação ao euro, utilizado em 15 países da União Européia, o real se valorizou 35% desde o final de 2002. E, em comparação com o peso argentino, subiu apenas 6,6% no mesmo período.Entre as moedas comparadas, o real perdeu valor para o peso mexicano (4,76% no período) e para o bolívar venezuelano (34,76%).O economista Alexandre Lintz, economista-chefe do BNP-Paribas no Brasil, afirma que boa parte dessa valorização do real nos últimos anos está relacionada ao valor elevado da moeda americana no final de 2002, com a instabilidade no mercado financeiro a partir do momento em que ficou claro que o presidente Lula tinha chances de ganhar as eleições.Na época, o Brasil tinha um volume elevado de dívidas em dólares, situação que foi revertida nos anos seguintes, com a transformação da dívida em dólares para reais.De uma média de R$ 2,40 no início de 2002, o dólar chegou a um valor em torno de R$ 4 na época das eleições. O recuo começou logo após o processo eleitoral, quando não se confirmaram as previsões de alguns analistas de mudança radical na política econômica do país.A queda se acentuou nos últimos dois anos, com o aumento das exportações brasileiras, ao mesmo tempo em que o país atraía investimentos tanto no mercado financeiro como no setor produtivo.Lintz diz que o cenário é favorável à continuidade da valorização do real. "Os termos de troca são atualmente favoráveis à economia brasileira, porque o país exporta produtos que estão em alta no mercado internacional - minérios, grãos e bens de capital - e importa produtos que estão em baixa, como bens de consumo industrializados", afirma o economista.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
dolarrealeconomiacâmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.