Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Nelson Barbosa pede que parlamentares mantenham veto de Dilma a reajuste do Judiciário

Ministro do Planejamento diz que presidente barrou aumento por ser 'incompatível com situação fiscal do Brasil'; veto será apreciado amanhã pelo Congresso

GUSTAVO PORTO E DANIEL CARVALHO, O Estado de S. Paulo

01 de setembro de 2015 | 13h57

BRASÍLIA - O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, iniciou a reunião com a bancada do PT na Câmara, nesta terça-feira, 1º, com um apelo, aos parlamentares, pela manutenção do veto da presidente Dilma Rousseff ao Projeto de Lei (PL) aprovado que concedia aumento aos servidores do Judiciário em torno de 55%. O veto e outros 25 serão apreciados amanhã em sessão do Congresso Nacional, às 11 horas.

"O PL de reajuste do Judiciário de 2009 refletia outra realidade salarial com porcentuais excessivos. O reajuste do PL é incompatível com situação fiscal do Brasil, por isso Dilma vetou”, disse o ministro.

Segundo ele, o custo aos cofres superaria R$ 25,7 bilhões e ampliaria, no último ano, em R$ 10,5 bilhões a folha de pagamento anual. “O governo vetou, mas se ofereceu a ajudar o Judiciário a construir uma alternativa”, disse ele, referindo-se a um projeto de lei discutido com o Judiciário que estabelece reajuste ao longo de quatro anos de, em média, 23,3%, com faixa de aumento de 43% a 16%. “A proposta alternativa prevê reajuste médio de 23,3% em quatro anos e é razoável”, concluiu o ministro sobre o assunto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.