Reajuste do Bolsa Família não é eleitoreiro, diz Lula

O governo continuará reajustando o valor do benefício pago pelo Bolsa Família, afirmou hoje o presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante o programa semanal de rádio "Café com o Presidente". "Na medida em que puder reajustar mais, vamos reajustar mais fortemente", disse Lula, que negou que o aumento médio de 8% seja eleitoreiro. O cálculo do aumento, argumentou, corresponde à alta dos preços dos alimentos nos últimos meses e foi feito pelo Ministério do Desenvolvimento Social. "Estamos dando o reajuste porque temos condições de dar, porque tem, no orçamento, dinheiro para dar este reajuste", disse.A partir de amanhã, as mais de 11 milhões de famílias atendidas pelo programa poderão sacar os valores reajustados. O benefício básico do Bolsa Família passa de R$ 58 para R$ 62 por mês e o variável sobe de R$ 18 para R$ 20 por beneficiário, até o limite de R$ 60 por família. Lula destacou ainda que no segundo semestre o governo federal entregará um prêmio às prefeituras que administrem com eficiência os programas de merenda escolar. Ele também comemorou os resultados da Pesquisa Mensal do Emprego divulgada na última semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apontou que níveis de atividade, emprego e consumo permaneceram elevados em maio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.