Raupp volta atrás e recoloca Simon e Jarbas na CCJ

O líder do PMDB, senador Waldi Raupp (RO), anunciou hoje que convidou os senadores Pedro Simon (PMDB-RS) e Jarbas Vasconcellos (PMDB-PE) a reassumirem suas funções na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da qual foram destituídos há uma semana pelo próprio Raupp. A destituição, de acordo com a oposição, teria sido ordenada pelo presidente do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), do qual são críticos os dois parlamentares. Raupp fez o anúncio depois de ter conversado três vezes com o ministro de Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, articulador político do governo. "Já tinha dito que tinha humildade suficiente para voltar atrás. Depois de uma reflexão, conversando com a grande maioria dos senadores da bancada, resolvi conversar com o Jarbas. Conversei (com ele) hoje de manhã. Conversei duas vezes com o Simon e resolvi retorná-los à CCJ", disse o líder do PMDB. Segundo Raupp, Simon "prometeu estudar e dar um retorno, e o Jarbas disse que conversa comigo na segunda ou na terça-feira." Para explicar os motivos da expulsão dos dois, o líder peemedebista alegou que havia "um compromisso da bancada do bloco (governista)" de fazer algumas substituições: "Como essas substituições não foram feitas, decidi retornar o Pedro e o Jarbas, mesmo que tivesse de ceder a minha vaga". Os senadores peemedebistas Paulo Duque (RJ) e Almeida Lima (PB), indicados na semana passada para as vagas de Simon e Jarbas na CCJ, nem se deram ao trabalho de comparecer à reunião de ontem da comissão. A iniciativa de devolver as vagas deve atender ao presidente da CCJ, senador Marco Maciel (DEM-PE), que ontem voltou a lamentar a forma como ambos foram retirados na comissão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.