Ed Ferreira/AE
Ed Ferreira/AE

Raul Filho nega ter recebido doação de Cachoeira

Texto atualizado às 15h10 

RICARDO BRITO, Agência Estado

10 de julho de 2012 | 12h33

O prefeito de Palmas, Raul Filho (PT), negou, em depoimento nesta terça-feira à CPI do Cachoeira, ter recebido doação de R$ 150 mil do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Em um vídeo gravado em 2004 e divulgado pelo Fantástico, da TV Globo, o contraventor fala que iria doar essa quantia para a campanha do então candidato.

"Nem em 2004, nem 2008, não vai constar nenhum tipo de apoio ou doação seja do senhor Carlos Cachoeira, da própria Delta. Nós nunca tivemos qualquer tipo de relacionamento, nem intimidade para buscar qualquer tipo de apoio", afirmou.

Na gravação, Silvio Roberto, um amigo de longa data do prefeito, negociou a transferência do valor. Segundo o prefeito, Silvio lhe garantiu posteriormente que não recebeu esses recursos e disse que, se for preciso, está pronto para testemunhar.

Raul Filho disse que o show do cantor Amado Batista, durante um comício de campanha, não foi pago por Cachoeira, conforme sugestão feita pelo contraventor na gravação. Segundo ele, o show foi pago por uma empresa de Araguaína (TO), da qual não se recorda o nome.

O prefeito disse que mostrou a Cachoeira uma pesquisa de intenção de voto que o apontava bem colocado para tentar "estimular o empresário a ajudar". Ele reconheceu que tentou criar uma "falsa expectativa" para fazer Cachoeira a contribuir com a campanha.

O prefeito de Palmas afirmou que esteve duas vezes com Cachoeira. A última foi no dia da gravação, no ano de 2004, realizada em Anápolis (GO). A anterior ocorreu em 1994, em Goiânia (GO), quando foi apresentado a Cachoeira por um colega que era candidato a deputado.

Tudo o que sabemos sobre:
CPICachoeiraPalmas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.