André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Raquel Dodge defende PEC para lista tríplice

'Há muitos anos estou na instituição e sou defensora ardorosamente da lista', afirmou a escolhida por Temer para a PGR

Thiago Faria e Fabio Serapião, O Estado de S.Paulo

12 Julho 2017 | 18h44

BRASÍLIA - Na sabatina em que foi aprovada por unanimidade para assumir o cargo de procuradora-geral da República, Raquel Dodge defendeu a produção de Proposta de Emenda Constitucional( PEC) para institucionalizar a lista tríplice na escolha do mandatário do Ministério Público Federal.

"Há muitos anos estou na instituição e sou defensora ardorosamente da lista. Ela funciona como bom critério em relação a escolha do PGR", afirmou a sucessora de Rodrigo Janot.

Atualmente, a lista com três nomes é produzida pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), mas não impõe uma obrigatoriedade para que o presidente da República escolha um dos nomes. De acordo com o texto atual da Constituição Federal, cabe ao presidente da República escolher o novo PGR.

Segunda colocada na lista produzida pela ANPR, Dodge afirmou que a institucionalização da escolha via lista tríplice confere legitimidade ao novo PGR dentro da instituição.

"Aquele que vier a ser indicado e escolhido contará com a legitimação dos membros do MPF", afirmou em resposta aos questionamento dos senadores da CCJ. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.