André Borges/Estadão
André Borges/Estadão

Raquel diz que cumpriu 'medida recorrente' ao informar Lava Jato sobre fim do prazo de reforços

PGR enviou ofício a Curitiba informando que o prazo de empréstimo de nove funcionários está prestes a terminar

Beatriz Bulla, O Estado de S.Paulo

04 de dezembro de 2017 | 14h23

BRASÍLIA - A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, considerou como uma "medida de gestão" o ofício encaminhado à força-tarefa da Lava Jato em Curitiba que comunica o fim do prazo de cessão de reforços ao grupo. O documento, encaminhado pelo secretário-geral da PGR, Alexandre Camanho, ao procurador Deltan Dallagnol, aponta que o empréstimo de nove cargos em comissão à força-tarefa será encerrado no próximo dia 11 e o pedido de manutenção dos assessores deve ser justificado.

+++ Continuaremos a agir firmemente contra a corrupção, diz Raquel

Segundo Raquel, essa medida foi adotada "de forma geral" em relação a funções comissionadas cedidas em todo o País. "O prazo de cessão é limitado e estava findando. Como todo ato administrativo, este também deve ser fundamentado", disse a procuradora-geral, questionada sobre o tema.

+++ Atividade do Poder Judiciário não é passiva, diz Carmen Lúcia

A situação de Curitiba, segundo ela, será analisada "adequadamente de forma condizente com a importância do trabalho que tem sido feito nessa força-tarefa, como nas demais". 

+++ Raquel tira nomes de Janot da Lava Jato

Ela afirmou que a medida não foi adotada apenas para a força-tarefa em Curitiba. "Não é uma medida dirigida e nem é uma medida que singularizou uma situação específica, é uma situação recorrente que decorre da necessidade de conferência da necessidade de cessão ou às vezes até ampliação."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.