Rapidez de crescimento de Dilma surpreende PT paulista

Segundo o presidente da sigla em SP, Edinho Silva, expectativa era de que avanço ocorresse 'mais para frente'

Anne Warth, da Agência Estado,

01 Fevereiro 2010 | 16h18

 

 

SÃO PAULO - O rápido crescimento da candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, surpreendeu o presidente estadual do PT, Edinho Silva. "Esperávamos que ela encostasse no Serra um pouco mais para frente", disse ele, ao comentar os resultados do levantamento CNT/Sensus divulgado nesta segunda-feira, 1º. Para Edinho, o aumento nas intenções de voto em Dilma reflete a aprovação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "A população também começou a conhecer a ministra e a confiar em seu trabalho", avaliou.

 

Veja Também

linkCNT/Sensus mostra empate técnico entre Serra e Dilma

link'Sem Ciro na disputa, Serra vence no 1º turno', diz líder do DEM

linkPresidente comemora aumento da popularidade, relata fonte

linkAntonio Palocci desiste de candidatura ao governo de São Paulo

 

A CNT/Sensus trouxe números bastantes favoráveis a Dilma. A diferença para o líder da pesquisa, José Serra (PSDB), caiu na simulação tanto de primeiro quanto de segundo turno; na chamada pesquisa espontânea (em que os entrevistados respondem livremente em quem vão votar, sem a apresentação de uma lista), Dilma ultrapassou Serra; e a rejeição da ministra caiu e passou a ser a menor entre os candidatos.

 

Edinho amenizou o resultado do cenário sem o nome do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE). Nele, Serra lidera com 40,7% das intenções de voto, enquanto Dilma fica com 28,5%. Com Ciro, a folga de Serra é menor - ele tem 33,2%, ante 27,8% da Dilma. Para o dirigente petista, "os votos do eleitorado de Ciro, com o tempo, tendem a ir para a ministra, uma vez que a candidatura do deputado é identificada como sendo da base de apoio do governo Lula".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.