Walterson Rosa
Walterson Rosa

Na ONU, Ramos intima Queiroga a cobrar Boris Johnson sobre restrição a brasileiros no Reino Unido

Secretário-Geral da Presidência referia-se às restrições para entrada de brasileiros no Reino Unido; ministro da Saúde participa de encontro de Bolsonaro com primeiro-ministro britânico

Beatriz Bulla/ Enviada especial a Nova York, O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2021 | 12h35
Atualizado 21 de setembro de 2021 | 10h25

Enquanto esperavam o presidente Jair Bolsonaro para o café da manhã nesta segunda-feira, 20, no hotel onde estão hospedados em Nova York, os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria-Geral da Presidência) e Marcelo Queiroga (Saúde) conversaram sobre o encontro bilateral com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, marcado para hoje. "Você vai lá no Boris?", perguntou Ramos. Assim que Queiroga respondeu assertivamente, o general recomendou: "Põe o pau na mesa. Libera lá pros brasileiros, pô". 

A conversa foi testemunhada pela reportagem do Estadão, que estava no local. Ramos não percebeu que havia jornalistas no lobby do hotel ao falar com Queiroga. Outros ministros e assessores da Presidência, no entanto, já haviam cumprimentado os jornalistas presentes. 

O general não deu detalhes, mas se referia à restrição de entrada de brasileiros no Reino Unido. O tema será abordado no encontro de Bolsonaro com Johnson. 

Nos últimos dias, o Reino Unido alterou as regras de autorização de entrada de viajantes e flexibilizou a chegada de passageiros internacionais. O Brasil, no entanto, continua na lista vermelha, na qual, independentemente do comprovante de vacinação, é necessário fazer quarentena de 10 dias na chegada à Inglaterra.

Segundo o jornal Financial Times, os EUA pretendem anunciar ainda hoje que irão flexibilizar, a partir de novembro, as regras para entrada de viajantes de 33 países, incluindo o Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.