Rádio Eldorado ganha prêmio por cobertura de projetos sociais

A Rádio Eldorado, empresa do Grupo Estado, recebeu o Prêmio Cidadania Brasil de Exportação, na categoria cobertura jornalística de projetos sociais. O evento, promovido pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento da Cidadania e a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, destacou outras dez empresas e personalidades comprometidas com o avanço das exportações brasileiras e o combate às desigualdades sociais.As emissoras AM e FM da Rádio Eldorado foram premiadas pelo espaço dedicado a ações e campanhas em favor da comunidade, do meio ambiente e da educação. "A Eldorado é um dos poucos veículos de comunicação do País a ter consciência de que seu papel, além de informar e denunciar, é também formar", disse o presidente do Instituto da Cidadania, Paulo Saab.Segundo ele, a escolha da rádio foi "unânime" no conselho do instituto, responsável pela indicação. O presidente da Câmara de Comércio, Paulo Atallah, contou que é ouvinte da Eldorado. "É uma rádio em que tudo é construtivo".O diretor-executivo da Rádio Eldorado, João Lara Mesquita, recebeu o troféu das mãos de Saab, em solenidade realizada no Ministério das Relações Exteriores. "A rádio nada mais faz do que cumprir a sua obrigação de veículo de comunicação social", disse o diretor-executivo, lembrando que a radiodifusão, no Brasil, é feita por concessão do poder público. Mesquita destacou a campanha pró-despoluição do Rio Tietê como umas das ações de sucesso lideradas pela emissora. Segundo ele, 90% das 1.250 empresas que poluíam o rio passaram a utilizar filtros, e o governo do Estado investiu US$ 1 bilhão em saneamento para tratar o esgoto. O diretor enfatizou que a rádio está aberta a difundir iniciativas de comprovado cunho social. Das 42 empresas inscritas no Prêmio Cidadania Brasil de Exportação, três foram agraciadas na categoria social (Companhia Vale do Rio Doce, Xerox do Brasil e Associação das Indústrias de Vestuário do Distrito Federal) e três na categoria exportação (Perdigão, TV Globo e Sadia). Além delas, os organizadores premiaram a Rádio Eldorado, a primeira-dama Ruth Cardoso, o jornal Gazeta Mercantil, os Correios e a novela O Clone, da TV Globo.Ruth Cardoso foi agraciada por sua atuação à frente do Conselho da Comunidade Solidária, em que promove parcerias entre empresas e projetos sociais. Já a TV Globo recebeu destaque por exportar novelas para mais de 130 países."Exportar é gerar empregos no Brasil", disse Saad, lembrando que o objetivo do evento é divulgar as iniciativas sociais de grupos que se destacam no comércio exterior, além de premiar empresas comprometidas com a melhoria das condições de vida no País. O secretário-executivo da Câmara de Comércio Exterior, Roberto Giannetti da Fonseca, fez coro com Saad. "Exportar não é só as toneladas embarcadas ou os bilhões de dólares em reservas cambiais, mas a geração de empregos, o treinamento de trabalhadores e a geração de tecnologia".O secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores, Osmar Chohfi, apontou que é possível que empresas atuem - e se destaquem - tanto na área produtiva quanto na social. Chohfi representou o ministro Celso Lafer, que estava no Rio. O vice-presidente Marco Maciel enviou carta parabenizando tanto os organizadores quanto os premiados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.