Radicais são barrados em carro de som do PT

Os deputados do PT, Luciana Genro (RS), João Batista de Araújo (Babá), do Pará, e João Fontes (SE) foram impedidos de subir no carro de som e discursar durante ato contra a reforma da Previdência, promovido por correntes de esquerda do PT, durante o 48º Congresso da União Nacional dos Estudantes, em Goiânia. Deputados como Lindberg Farias (PT-RJ) e Ivan Valente (PT-SP), ligados a correntes que realizaram o ato, vetaram a participação dos deputados radicais. Segundo Lindberg, os deputados Babá e Luciana fazem oposição ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e, por isso, deveriam participar de outro protesto contra as reformas, promovido pelo PSTU, que ocorria simultaneamente em torno da mesma praça de Goiânia. "Queremos que o governo mude de rumo, mas também que dê certo; enquanto eles (os radicais) adotam uma linha clara de oposição", disse Lindberg. Por conta disso houve um princípio de tumulto e a solução encontrada pelos organizadores foi dar a palavra apenas à senadora Heloísa Helena (AL), que apesar de integrar a tropa de choque do PT é da parte da Democracia Socialista, uma das correntes que organiza o evento. A realização de dois protestos contra as reformas, em um mesmo local, mostra as divergências dentro do movimento estudantil em relação ao governo Lula. A eleição do novo presidente da UNE está marcada para domingo e a expectativa é de que o candidato do PCdoB, o estudante de jornalismo Gustavo Petta, na PUC de Campinas, seja eleito. O PCdoB, que integra a base de apoio do governo Lula, no Congresso Nacional, não participa dos protestos em Goiânia, contra a reforma da Previdência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.