Radicais do PT se aliam a Brizola contra reformas

Os radicais do PT estão se unindo ao ex-governador Leonel Brizola, presidente nacional do PDT, contra a reforma da Previdência e a condução da política econômica do governo Lula. Estão articulando uma frente, que contará também com descontentes dos demais partidos aliados, para se contrapor à ofensiva das forças governistas em defesa das reformas.O lançamento dessa frente deve ocorrer no domingo, quando a senadora Heloísa Helena (PT-AL) e o deputado Lindberg Farias (PT-EJ) vão almoçar no Rio de Janeiro com Brizola. "Queremos construir uma frente por dentro dos partidos da base governista para atuar na perspectiva de mudança dos rumos do governo", disse nesta sexta-feira Lindberg.Segundo ele, a resistência à proposta de reforma previdenciária une hoje grande parte da bancada do PT e do PSB, além do PC do B e do PDT. Ao longo desta semana ficou claro o descontentamento destes grupos, o que alertou o Palácio do Planalto, que começou a ameaçar com punição os petistas e cobrar lealdade dos partidos aliados, todos com cargos no primeiro escalão do governo.O presidente do PT, José Genoino, considerou "normal" e "esperada" a decisão do Diretório Nacional do PDT, que, em reunião na noite desta quinta-feira, fechou questão contra a cobrança previdenciária dos servidores inativos e contra as reformas que "sacrifiquem os direitos dos trabalhadores"."Não vamos brigar?, disse Genoino. ?A decisão do PDT não altera em nada nossa disposição e determinação de fazer a reforma previdenciária com a taxação dos servidores inativos." O petista afirmou que vai continuar a dialogar com a bancada do PDT e a argumentar que a cobrança dos inativos é uma questão socialmente justa. "Não é justo que o servidor que se aposenta receba um valor maior do que o servidor que está na ativa", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.