Radicais defendem greve para barrar reforma da Previdência

Os deputados federais João Batista Araújo, o Babá, (PT-PA) e Luciana Genro (PT-RS), da ala radical petista, defenderam, ao final dos trabalhos de hoje do 8º Congresso Nacional da CUT, uma mobilização em todo o País com greves, principalmente do funcionalismo público, contra a reforma da Previdência e pediram aos delegados petistas, que ainda se mantinham no plenário, um governo petista para o Brasil, "mas de enfrentamento ao Fundo Monetário Internacional (FMI) e ao imperialismo". A ala de esquerda do PT fez uma manifestação em plenário assim que acabaram os trabalhos de hoje do congresso. A maior parte dos delegados deixou o plenário assim que a manifestação começou. "Por traz da Reforma da Previdência há uma exigência do FMI que quer que o setor financeiros entre no nicho do servidores públicos com os fundos de pensão", afirmou Babá. Para o deputado, o governo Lula deveria estar realizando uma reforma tributária para "cobrar impostos dos grandes bancos" e não a reforma da Previdência. Luciana Genro também pediu aos delegados uma mobilização nas ruas para "enfrentar o FMI e o imperialismo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.