Rachid: compensação da CPMF é apenas uma reflexão

O secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, informou após sua participação na audiência pública destinada a debater a prorrogação da Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira (CPMF) que o cálculo que fez no início de sua exposição, que mostrava que para compensar a eliminação da CPMF o PIS e o Cofins teriam que subir, era apenas para reflexão e não se trata de um Plano B do governo. "Com a eliminação da CPMF, teria que se fazer receitas sobre outros tributos mais vulneráveis", disse.O secretário também mencionou a necessidade de se reduzir programas sociais. Mas ele trabalha com um cenário de aprovação da CPMF do jeito que está. Ele voltou a dizer que o tributo é eficaz para arrecadar e para a fiscalização tributária. Rachid afirmou que o debate em torno da CPMF tem de deixar o terreno da emoção e ser mais racional. Para o secretário, desonerações tributárias têm de ser avaliadas mais profundamente para ver quais são as mais eficazes para a economia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.