Racha na base tira Lula do palanque na Grande SP

Aliados no governo preparam confronto no berço político do presidente

Clarissa Oliveira, O Estadao de S.Paulo

12 de abril de 2008 | 00h00

Se cumprir a promessa de ficar fora do palanque nas cidades onde a base não estiver unida em torno de uma única candidatura, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficará longe das eleições municipais nos principais centros da Grande São Paulo, em especial em seu berço político, o ABC paulista. Nos maiores colégios eleitorais da região, a base que dá sustentação ao governo federal está rachada e tende a apresentar vários candidatos."O PT trará tudo o que o governo fez para a campanha, mas sabemos que a presença física do Lula será difícil", diz o secretário de Assuntos Institucionais do PT-SP, Luiz Turco. Em São Bernardo do Campo, onde nasceu a carreira política do presidente, o prefeito William Dib (PSB) não apenas se oporá à candidatura do ministro do Trabalho, Luiz Marinho (PT), como poderá apoiar o deputado estadual Orlando Morando (PSDB). A união tende a ocorrer mesmo que o ex-prefeito Maurício Soares (PSB) mantenha sua pré-candidatura. Marinho provavelmente enfrentará outra sigla da base: o PTB, com o ex-prefeito Tito Costa.Em Santo André, só o PMDB tem três postulantes: o assessor da Presidência da Infraero, Edgard Brandão, o vereador Sargento Juliano e o empresário Carlos Alberto Marcílio. O PT entrará na disputa com o deputado estadual Vanderlei Siraque (PT), que brigará com Newton Brandão (PSDB) e Raimundo Salles (DEM). Diadema tem cinco pré-candidatos, entre eles Manoel José da Silva (PSB), Paulo Milanese (DEM) e Ricardo Yoshio (PMN). Mas a disputa é protagonizada por Mário Reali (PT) e José Augusto Silva Ramos (PSDB). Em Mauá, está colocado até agora o nome de Chiquinho do Zaíra (PV), além do vereador Diniz Lopes (PSDB), o ex-prefeito Oswaldo Dias (PT) e o presidente do Instituto Henfil, Mateus Prado (PSOL).INCERTEZAEm Guarulhos, é incerto quem será o candidato do prefeito Elói Pietá (PT). A vice-prefeita, Eneide Lima, e o deputado estadual Sebastião Almeida disputarão prévia marcada para hoje. Mas outras siglas da base já mostraram interesse. Pelo PC do B, sairá Adilson Valente. Já o PMDB lançou a vereadora Adriana Afonso e o PV, o ex-prefeito Jovino Cândido. A base está dividida também em Osasco, onde eleitores escolherão entre manter no cargo o prefeito Emídio de Souza (PT) ou dar o posto a Celso Giglio (PSDB), Francisco Rossi (PMDB) ou Délbio Teruel (PDT). Em Mogi das Cruzes, o quadro também permanece indefinido no PT, que tem três possíveis nomes: Iduígues Martins, a psicóloga Ana Maria de Paula e o historiador Nabil Francisco de Moraes. Já na corrida, estão Luiz Carlos Gondim Teixeira (PPS), José Antônio Cuco Pereira (PPS), Inês Paz (PSOL) e Marco Aurélio Bertaiolli (DEM).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.