Quórum baixo impede votação na Câmara

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), não conseguiu votar nenhuma matéria na sessão desta segunda-feira da Câmara. Ele anunciou que tinha a intenção de fazê-lo, mas como tradicionalmente ocorre na Casa, às segundas-feiras, o quórum foi baixo. Às 18h07, quando foi registrado o pico de presenças, o painel eletrônico marcava 131 deputados nas dependências da Câmara. No total, são 513.Com pouco mais de uma centena de parlamentares na Câmara, o plenário permaneceu quase vazio, visto que eles passam por lá, fazem seus discursos, e vão para os gabinetes. Sem ter o que votar, os que apareceram na Câmara cuidaram de mandar recados para suas bases. Os discursos só foram encerrados às 19h19, dezenove minutos além do horário normal da sessão ordinária, que sempre deve terminar às 19 horas em ponto.Duas medidas provisórias obstruem a pauta da Câmara. A intenção de Chinaglia é votá-las ainda nesta terça-feira, para então escolher os relatores das MPs e dos projetos de lei do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Ele fará também nesta terça-feira uma reunião com os líderes partidários para tratar da ordem do dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.