Quintanilha pede pressa nos relatórios sobre Renan

O presidente da Comissão de Ética do Senado, Senador Leomar Quintanilha (PMDB-TO), pediu hoje pressa na conclusão dos relatórios dos casos abertos contra o presidente licenciado do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), desde que com isto não haja "açodamento" que venha a comprometer os processos. O senador Jefferson Péres (PDT-AM), relator do caso em que Calheiros é acusado de ter adquirido, em sociedade com o empresário João Lyra e por meio de laranja, empresas de comunicação em Alagoas, informou que concluirá o relatório até o dia 15 de novembro. "Não será possível entrega-lo até o dia 10", avisou Péres, salientando que Lyra, suposto sócio de Renan na compra de emissoras, não quer depor novamente na Comissão e tem direito de se recusar a fazê-lo. Até lá, informou, irá analisar a defesa prévia a ser apresentada por Renan, além de tentar ouvir a principal testemunha do caso, que é o usineiro João Lyra. O relator da representação contra Renan referente ao caso Schincariol, senador João Pedro (PT-AM), anunciou que concluirá os trabalhos até o dia 5 de novembro. Ele informou que está aguardando apenas o envio, pela Polícia Federal, de cópias do relatório da Operação Cevada, e respostas a um conjunto de perguntas que fez à direção da cervejaria Schincariol. O senador Almeida Lima (PMDB-AL), que relata processo que investiga denúncia de que Renan e o empresário Luiz Garcia Coelho teriam montado um esquema para desviar recursos de ministérios comandados pelo PMDB, afirmou que só recebeu ontem as informações sobre a matéria e, portanto, não tem condições de estipular um prazo para entregar seu parecer. "Posso entregá-lo em 8 ou 15 dias, mas também em um ano. O que posso garantir, neste momento, é que, nas minhas mãos, este processo não deixará de tramitar um único dia". Sobre a acusação de que Renan estaria por trás de um esquema de espionagem contra os senadores da oposição Demostenes Torres (DEM-GO) e Marconi Perillo (PSDB-GO), já encaminhada pela Mesa do Senado mas que ainda não chegou ao Conselho, Quintanilha informou que ainda está à procura de um relator para o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.