Quilombolas invadem área florestal da Aracruz Celulose

Empresa informa que contesta na Justiça portaria reconhecendo área como território quilombola

Stella Fontes, da Agência Estado,

23 de julho de 2007 | 18h25

Cerca de 250 manifestantes ligados ao movimento das comunidades quilombolas, apoiados pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), invadiram na manhã desta segunda-feira, 23, uma área florestal da Aracruz Celulose em Linharinho, município de Conceição da Barra, no norte do Espírito Santo (ES). De acordo com a companhia, os manifestantes derrubaram árvores de eucalipto e bloquearam a passagem de funcionários da Aracruz.   A empresa informa, em comunicado, que os invasores utilizaram motosserras e machados para cortar as árvores, que seriam utilizadas para produção de celulose. "Na propriedade existem plantios de eucalipto para produção de celulose e áreas de reserva legal e preservação permanente", afirma a nota.   No comunicado, a Aracruz informa ainda que está contestando administrativamente todo o processo que reconhece o território quilombola, incluindo a portaria que reconhece pouco mais de 9 mil hectares de terras como território quilombola na região de Linharinho. "A área invadida é de propriedade da empresa e vamos buscar na Justiça a garantia de nossos direitos", diz o diretor Jurídico da empresa, José Luiz Braga.

Tudo o que sabemos sobre:
Quilombolas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.