'Quero o povo do meu lado', diz novo governador de SC

O governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo (DEM), afirmou hoje, em seu discurso de posse no plenário da Assembleia Legislativa, que não abrirá mão de fazer uma gestão voltada para o povo catarinense. "Governo e povo se confundem. Quero o povo do meu lado para me ajudar naquilo que for preciso. Ele não será negligenciado naquilo que precisar dentro do serviço público. Este é o perfil e o caráter do governo que se instala", afirmou Colombo.

JÚLIO CASTRO, Agência Estado

01 de janeiro de 2011 | 20h42

Na tribuna da Casa, Colombo se emocionou ao reverenciar as pessoais mais humildes que o ajudaram a vencer a eleição em primeiro turno, com mais de 1,8 milhão de votos. O governador catarinense disse que vai cumprir à risca tudo o que prometeu durante o período de campanha. "Porque o meu programa de governo não será visto como mais um catálogo de promessas. Vamos atingir as metas nas quais nos comprometemos", afirmou.

Reforçou a necessidade dos investimentos em segurança pública como meta de qualidade de vida da população catarinense, assim como também apelou para realização de um esforço extra logo no começo de sua gestão para equilibrar as finanças. Colombo pediu respeito no trato do dinheiro público.

Tão logo completou seu discurso, Colombo foi aplaudido de pé, recebeu cumprimentos e seguiu para o Centro Administrativo do Estado, onde foi recebido pelo governador Leonel Pavan (PSDB) na cerimônia de transmissão de cargo. Seu vice, Eduardo Pinho Moreira (PMDB), o acompanhou em todos os momentos da agenda de hoje, inclusive participando de um culto ecumênico na Catedral Metropolitana de Florianópolis antes da cerimônia na Assembleia Legislativa.

Tudo o que sabemos sobre:
posseSCRaimundo Colombopovo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.