'Queremos obrigar os que estão no topo a descer do salto', diz porta-voz de hackers

Em chat exclusivo com a BBC, porta-voz do grupo LulzSec diz que 'hacking com objetivo político é recompensador'.

BBC Brasil, BBC

25 de junho de 2011 | 08h11

Um porta-voz dos hackers Lulz Security disse à BBC que o grupo tem como objetivo atacar os "que estão no topo" da sociedade a fim de obrigá-los a "descer do salto".

Em um chat privado exibido em um programa de reportagens da BBC, Whirlpool (Redemoinho), que se descreve como "capitão do barco Lulz", afirmou que o grupo começou a hackear computadores há cerca de dois meses apenas "para se divertir" - mas que os objetivos se ampliaram desde então.

"Hacking ético com objetivos políticos é mais recompensador", disse o hacker.

O LulzSec tem ganhado proeminência nas últimas semanas com ataques cibernéticos a alvos altamente visados, que incluíram a agência de inteligência americana, a CIA, e a gigante de entretenimento Sony.

No Brasil, o braço brasileiro do grupo, o LulzSecBrazil, reivindicou a responsabilidade pelo ataque ao site da Presidência da República, na quarta-feira.

A reportagem da BBC não se encontrou pessoalmente com Whirlpool, o porta-voz dos hackers. A produção do programa Newsnight, exibido na sexta-feira à noite, pôde confirmar que ele é usuário com acesso ao twitter @Lulzsec.

A seguir, os principais trechos da conversa.

BBC - O que é a operação Antisec, que o grupo está encampando?

Whirlpool - Reunimos energia a partir de uma gota de operações pessoais para chegar a um movimento global de hackers contra as pessoas comuns que se consideram os opressores, em outras palavras, os governos do mundo. Nosso barco Lulz reuniu barcos aliados de grupos hackers como o Anonymous e outros, incluindo grupos proeminentes brasileiros, iranianos e espanhóis.

BBC - Pode explicar o que quer dizer com 'se consideram os opressores'?

Whirlpool - Aqueles que criam as regras para governar os oceanos não são corruptos por natureza, mas logo eles se dão conta de que ninguém questiona as regras que eles criam, então usam este sistema para cometer abusos. As pessoas temem novas regras, as pessoas temem os que estão no topo, e estamos obrigando-os a descer do salto um pouquinho.

BBC - Vocês acham que as regras é que estão erradas? Que são as pessoas erradas que estão fazendo as regras? Vocês concordariam com regras, desde que com mais transparência?

Whirlpool - Quando nosso barco quer navegar em uma livraria, não queremos pagar à Apple para ter um aparelho de leitura móvel e, em seguida, um aplicativo que nos permita ler livros e, depois, ter de comprar os direitos de ler o livro em formato texto. Não ao direito à propriedade intelectual. O "errado" à propriedade intelectual é um inimigo constante dos mares.

BBC - Então o copyright é um dos temas, mas não deve ser a razão por trás dos ataques à polícia do Arizona. Pode explicar isto?

Whirlpool - Nosso ataque contra a polícia do Arizona foi para expor o preconceito racial e a corrupção na frota inimiga. Em um dos e-mails vazados, eles se referem aos mexicanos como imigrantes ilegais e dizem que precisam construir um muro mais alto e maior para mantê-los fora (do território americano). Temos centenas de outros documentos prontos para divulgar a respeito de Estados corruptos semelhantes.

BBC - De propriedade intelectual à imigração - a sua agenda é bastante ampla...

Whirlpool - Nossos alvos são globais. Regras e leis corruptas definem bem o nosso vetor de ataque. Balas de canhão serão disparadas contra bancos, polícia e governos inteiros até que nós (a internet) estejamos satisfeitos.

BBC - Uma pergunta sobre seu nome - Lulz. Algumas pessoas pensam em "laughs" ('risada', em inglês). O grupo está ficando mais sério? Ou Lulz foi uma interpretação errada?

Whirlpool - Estamos violando as arcas do tesouro para nos divertir desde o Twitter número um. Obtivemos os dados pessoais de mais de 73 mil participantes do X-Factor (o programa de calouros de grande sucesso do grupo Fox Entertainent) e temos mantido o ritmo. A nossa última operação, pouco antes de chegar a 250 mil seguidores, convida todo o resto da internet a se juntar a nós. Nesse sentido, a nossa missão é séria. Mas ainda queremos dar muita risada com ela.  

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
internethackersites do governo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.