Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Luis Macedo/Câmara dos Deputados

'Querem sair do PSL, mas levar dinheirinho para a campanha. Adorei esse conservadorismo'

Coronel Tadeu condena ataques a Bivar, diz que obstrução de Waldir à MP de Bolsonaro foi 'saída regimental' para reunião e ironiza colegas de sigla

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2019 | 10h32

O deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP) ironizou nesta quarta-feira, 16, colegas de partido que têm articulado uma debandada da sigla, que passa por uma crise interna que opõe aliados do presidente da sigla, Luciano Bivar (PSL-PE) e do presidente Jair Bolsonaro.

"Eles querem sair, mas querem levar o fundo partidário, o dinheirinho para a campanha, o mandato. Adorei esse conservadorismo", disse à Rádio Eldorado (ouça na íntegra abaixo). "O conservador tem que ser legalista. É um despreparo completo, eles não podem sair nessas condições que eles querem. É impossível. A lei é clara: ou espera uma janela partidária ou espera fusão de um partido com outro, ou seria expulso e brigaria na Justiça."

Na terça, mais um capítulo desta crise: o deputado Delegado Waldir, líder do PSL na Câmara, se uniu à oposição para tentar obstruir a medida provisória que trata sobre a reformulação da estrutura do Poder Executivo. A votação foi adiada por duas horas, mas a obstrução caiu. Deputados bolsonaristas iniciaram um movimento para destituir Waldir da função.

De acordo com Tadeu, a obstrução foi "uma saída regimental" utilizada por deputados do PSL para que pudessem continuar uma reunião que estava sendo realizada no gabinete da liderança em que se discutia a crise no partido. Entenda a escalada da tensão entre bolsonaristas e ‘bivaristas’ no PSL.

"A obstrução foi feita porque todo nós estávamos na sala da liderança decidindo o que fazer com esse papelão que essa meia dúzia está fazendo e nós não poderíamos estar no plenário, porque teve votação nominal", disse. "É apenas uma estratégia de adiar. Tanto é que depois que acabou a reunião, todos nós fomos para o plenário e votamos 100%. É uma saída regimental para continuarmos a reunião."

Ouça a entrevista do deputado Coronel Tadeu (PSL/SP) à Rádio Eldorado na íntegra:

Tadeu condenou os ataques a Bivar, mas se definiu como "bolsonarista" e disse que não vê motivo para sair do partido. "Um grupo de deputados, de forma imatura, passou a fazer ataques ao presidente Luciano Bivar. Esse grupo se posicionou como bolsonarista numa infantilidade sem precedentes. Colocaram isso em todos os meios de comunicação. Isso causou esse eventual 'racha'. Acusam quem não está com eles de não ser bolsonarista. Uma mentira."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.