Quércia: PMDB busca alianças para Prefeitura de SP

O presidente do PMDB paulista, Orestes Quércia, afirmou em entrevista concedida hoje ao Jornal Eldorado, da Rede Eldorado de rádio, que o partido está analisando com o PT, PSDB e DEM a possibilidade de uma aliança para a candidatura à Prefeitura de São Paulo. "Como estamos com dificuldade de ter um candidato, embora não excluamos a hipótese, estamos analisando com outros partidos a hipótese de uma aliança", disse.Sobre as desavenças ocorridas no passado com Marta Suplicy, atual ministra do Turismo e único nome no PT com a possibilidade de atingir dois dígitos nas pesquisas de intenções de votos, Quércia admite que há problemas, mas alega que esse não é o único obstáculo numa possível aliança com o partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Existe dificuldade e eu tenho dito muito claramente para todo mundo. Mas não é só por causa dessa história com a Marta, é por causa também das restrições que o PMDB de São Paulo coloca nesse relacionamento com o governo Lula", destacou. "O PMDB tem cinco ministérios, mas não manda em nenhum. O relacionamento com o PT é muito difícil. Ele é excludente, não tem diálogo."Quércia afirmou que o PMDB precisa agora ter liberdade de escolha - ou do candidato do próprio partido para concorrer à Prefeitura paulista, ou de uma alternativa para o posto. "Isso também não significa que nós estamos excluindo o PT. Nós vamos conversar com o PT", observou. E ironizou: "Tem horas que precisa ser meio tucano nessa vida política, pois você tem que esperar para conversar com as pessoas. Se não fizer isso, você está entregando o ouro para o bandido."Sobre as eleições presidências de 2010, o presidente do PMDB paulista disse que elas estão vinculadas com o pleito municipal deste ano e que é preciso ter cautela. "Nós temos que verificar o que é possível no partido, e política é aquilo que é possível", ponderou. "Apesar das restrições que eu tenho com relação ao relacionamento com o presidente Lula, acho que o PMDB está apoiando o governo e tenho que levar isso em conta", finalizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.