Quércia oficializa renúncia e pede apoio a Aloysio Nunes Ferreira

Desistência do peemedebista, por razões de saúde, dobrará tempo de propaganda de candidato tucano

Malu Delgado, de O Estado de S.Paulo,

06 de setembro de 2010 | 14h24

O ex-governador de São Paulo Orestes Quércia confirmou oficialmente no início da tarde desta segunda-feira, 6, que não irá em concorrer ao Senado pelo Estado pelo PMDB. Em carta de renúncia lida pelo vice-presidente do PMDB paulista, deputado estadual Jorge Caruso, Quércia afirma ter tomado a decisão para se dedicar ao tratamento de um câncer na próstata. A decisão foi tomada em reunião nesta manhã no Hospital Sírio Libanês, onde peemedebista está internado desde que constatou a volta do tumor, que havia sido tratado há mais de uma década.

 

"Comunico com a dificuldade que é comunicar essa decisão, tomada em conjunto com minha mulher e meus filhos de renunciar à minha candidatura ao Senado", diz a carta, escrita de próprio punho. No texto, Quércia anuncia que o PMDB passará a apoiar integralmente a outra candidatura da coligação Unidos por São Paulo (PMDB, PSDB, DEM, PPS, PHS, PMN, PSC), de Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), ao Senado. "Agora me afasto e me concentro no tratamento médico que me espera, de maneira a estar de volta, recuperado, em breve. E, ao me afastar, peço-lhe o apoio ao Aloysio Nunes Ferreira."

 

Com a manobra, o tempo de propaganda de Aloysio no rádio e na TV praticamente dobrará, passando de pouco mais de dois minutos e meio para cerca de cinco minutos.

 

Andréa Quércia, filha do ex-governador, reforçou o caráter familiar da decisão. "Não houve recomendação médica nenhuma para que ele saísse da campanha, foi uma decisão conjunta da família", disse.

 

De acordo com o advogado de Quércia Ricardo Porto, não haverá tempo para a retirada do nome do ex-governador da cédula eleitoral. Portanto, os votos depositados em nome de Quércia, serão anulados.

 

Leia a íntegra da carta

 

"Companheiros de Partido e da Coligação Unidos por São Paulo, meus amigos:

 

Agradeço pelo apoio recebido, sobretudo nos últimos dias, quando me recolhi para a realização de exames médicos, e consequentemente me afastei da campanha nas ruas. Comunico com a dificuldade que é comunicar essa decisão, tomada em conjunto com minha mulher e meus filhos de renunciar à minha candidatura ao Senado. Entendo que essa atitude, nesse momento, apesar de difícil, é a mais correta a bem dos interesses da Coligação, do meu Partido, do meu estado e meu interesse em recuperar minha saúde.

 

Quero agradecer a cada um de vocês pela amizade, pelo companheirismo, pelo apoio e dedicação nessa caminhada empreendida na campanha. Quero agradecer o povo paulista e brasileiro pelo carinho e apoio, refletidos no resultado expressivo das últimas pesquisas. Por favor, receba meu abraço e meu muito obrigado.

 

Agora me afasto e me concentro no tratamento médico que me espera, de maneira a estar de volta, recuperado, em breve. E, ao me afastar, peço-lhe o apoio ao Aloysio Nunes Ferreira. Ele reúne todas as condições de representar São Paulo no Senado da República, pela sua história, seu compromisso com São Paulo e pela forma como ajudou o Governo José Serra a desenvolver seu trabalho.

 

Reitero todo o compromisso do nosso partido ao Geraldo Governador, Afif Vice e Serra Presidente.

 

Quero agradecer ainda meu amigo e prefeito Gilberto Kassab.

 

Forte abraço do companheiro.

 

Orestes Quércia"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.