Quércia ''lança'' governador para presidente

Líder do PMDB paulista acha difícil seu partido lançar nome próprio

Andréia Sadi, O Estadao de S.Paulo

28 de outubro de 2008 | 00h00

Depois do sucesso da chapa que elegeu Gilberto Kassab (DEM) e a vice Alda Marco Antônio em São Paulo, o presidente do PMDB em São Paulo e ex-governador Orestes Quércia já tem nova meta política: ajudar a eleger José Serra (PSDB) presidente em 2010. Em entrevista ao estadao.com.br, Quércia, que é padrinho político da vice de Kassab, disse que "não quer nada para ele" em relação a cargos e defende uma mudança na orientação de seu partido, ou seja, que o apoio ao PT migre para o PSDB."Se possível, (o PMDB deve ter) uma candidatura própria. Mas como acho muito difícil, eu prefiro uma composição com Serra para presidente para mudar essa administração do PT no País." O ex-governador ressaltou que o PMDB saiu fortalecido da eleição municipal. "É um grande aliado em 2010 para todos os partidos mesmo, tanto para o PT como para o próprio Serra", afirmou. Quanto à provável distribuição de cargos por conta da eleição de Gilberto Kassab, Quércia diz não ter pretensões de indicação e lembrou que o novo prefeito já afirmou ter intenção de manter sua atual equipe de governo. "Eu não quero nada, o que eu quero é para o PMDB. O PMDB abre mão de candidato para disputa majoritária, mas está sempre por perto." Apesar de reconhecer a importância do partido hoje como apoio, Quércia defende uma candidatura própria do PMDB à Presidência da República em 2010. "Eu particularmente acho é que o PMDB deveria ter candidato à Presidência e queria isso na medida que fosse possível", afirmou. "Se não for, eu prefiro uma composição com Serra para presidente para mudar essa administração do PT no País." O ex-governador diz que fala em nome de um setor do PMDB que pretende mudar a orientação de apoiar o PT e ir em direção ao PSDB. "Se você for perguntar para as lideranças em Brasília, provavelmente não (será a mesma opinião). Isso está só começando, o trabalho começou agora." E essa mudança de orientação teria começado, de acordo com Quércia, com a eleição de Kassab. "Fizemos um pré-acordo. O que existiu foi político, não foi em troca de cargos. O combinado é eu sair como senador em 2010."SERRA É MAIS FÁCILPara Quércia, os nomes cogitados caso o PMDB decida apresentar candidatura própria em 2010 são muitos. Ele elenca o de Roberto Requião, governador do Paraná, e o do senador Jarbas Vasconcelos. Se a opção for apoiar o PSDB, o ex-governador fecha com José Serra e não com Aécio Neves, governador de Minas. "Veja bem, se for para escolher alguém de outro partido, oficializamos o Serra que é mais fácil, né?"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.