Quércia depõe sobre campanha eleitoral de 1998

O ex-governador Orestes Quércia (PMDB-SP) presta depoimento esta manhã na Delegacia de Ordem Política e Social (Delops) da Polícia Federal no inquérito que investiga a doação de carros para a campanha eleitoral realizada em 1998. O inquérito foi instaurado pela Promotoria da Justiça Eleitoral e é o mesmo em que o ex-prefeito Paulo Maluf foi indiciado, na semana passada.O depoimento de Quércia estava marcado para às 9h, mas o governador chegou às 8h20 na Polícia Federal. Ele depõe acompanhado dos advogados Mauro Arjona e Ricardo Camargo Lima. Segundo seu assessor de imprensa, Francisco Vasconcelos, Quércia dará entrevista após o depoimento.O grupo Transbraçal fez doações para as campanhas eleitorais, em 1998, para os então candidatos Quércia, Maluf e Mário Covas (PSDB), reeleito governador e falecido em março último. De acordo com os artigos 346 e 377 do Código Eleitoral, a Transbraçal, por ser uma empresa prestadora de serviços para o poder público, não poderia fazer doações de campanha. Se o ex-governador Quércia apresentar documentos comprovando que essas doação, mesmo que irregulares, foram declaradas, ele é considerado culpado mas a pena é de 6 meses de reclusão e, na prática, já prescreveu.O ex-prefeito Maluf foi indiciado, no mesmo inquérito, porque não declarou a doação (art. 350 do Código Eleitoral). Nesse caso, a pena é de até 5 anos de reclusão e o tempo de prescrição é de 8 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.