Quércia acha que candidatura de Itamar une o PMDB

O presidente do PMDB de São Paulo, Orestes Quércia, disse nesta terça-feira que a candidatura presidencial de Itamar Franco tem condições de unificar a legenda e ratificar a posição do PMDB como um partido de expressão nacional. "O PMDB tem responsabilidade de lançar um candidato à Presidência da República e vamos ratificar essa posição no encontro do dia 13", afirmou Quércia, num ato de apoio à candidatura de Itamar realizado no diretório paulista do PMDB, citando depois a pré-convenção que o partido fará em um fórum, em Brasília. "Acho fundamental o lançamento da candidatura própria e acredito que o partido tem condições de se somar depois de lançada a candidatura de Itamar Franco".Na visão de Quércia, a participação de Itamar fortalece as campanhas estaduais e estabelece condições para o PMDB apresentar um projeto integrado nacionalmente. "O PMDB sempre foi um partido nacional, e só recentemente surgiram esses problemas de liderança e disputas nos Estados. Precisamos mudar o processo dessa coisa e dizer que cada Estado tem um comando, porque não é assim que se faz política", disse.Plano alternativoEmbora defenda a candidatura própria, Quércia admitiu ter mantido contatos políticos com PT, PSDB e PFL, para ter um plano alternativo, caso o PMDB não lance candidato presidencial. "Política é conversa. Amanhã, vamos supor que a maioria não quer candidato próprio do partido, um equívoco, uma tragédia, mas que pode acontecer. Espero que isso não aconteça, mas temos que ter alternativa", justificou. Ele não quis detalhar quais casos e formação de chapa teria negociado com as demais legendas, mas insistiu que com esta atuação ele acaba por pressionar o conjunto do PMDB a lançar candidatura. "Queremos motivar o partido em um ambiente de força, comando e de unidade", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.