Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Quem é Simone Tebet, candidata à Presidência do Senado?

Parlamentar tem buscado se apresentar como uma candidatura independente e de contraponto ao presidente Jair Bolsonaro

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2021 | 10h00

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) tem buscado se apresentar na disputa pela presidência da Casa como uma candidatura independente e de contraponto ao presidente Jair Bolsonaro. A parlamentar não conta com o apoio do próprio partido -- caciques do MDB negociaram aliança com o representante do Planalto, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), em troca de cargos na Mesa Diretora e controle de comissões.

O Placar da Eleição no Senado do Estadão indica que Tebet está perdendo a disputa contra Pacheco; ela tem 27 votos declarados, enquanto o adversário tem 41. Outros candidatos somam três votos.

Simone afirmou que há um movimento para transformar a Casa em um “apêndice” do Executivo. Na semana passada, o Estadão revelou que o Planalto liberou R$ 3 bilhões para 250 deputados e 35 senadores aplicarem em obras em seus redutos eleitorais em meio às disputas para trocar o comando do Congresso Nacional.

Apesar da postura de independência, em carta a senadores Simone prometeu “harmonia” com a Presidência da República. Em entrevista ao Estadão, a senadora disse que, mesmo com a apreensão no atraso da vacinação contra covid-19, não há clima político para o impeachment de Bolsonaro. A candidata também afirmou querer conciliar responsabilidade social com a responsabilidade fiscal. Ela é defensora do teto de gastos, mas propõe uma nova metodologia para a regra que impôs limites às despesas do governo.

Em seu primeiro mandato no Senado, Tebet é presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a mais importante da Casa. Ela disputa a presidência pela segunda vez: em 2019, lançou candidatura independente, como alternativa ao nome de Renan Calheiros no MDB. O pai de Simone, Ramez Tebet, presidiu o Senado entre 2001 e 2003. Ele também foi ministro da Integração Nacional e governador do Mato Grosso do Sul. Ramez morreu em 2006.

Para Entender

Veja o placar da eleição para presidente do Senado

Rodrigo Pacheco (DEM), Simone Tebet (MDB), Major Olímpio (PSL) e Jorge Kajuru (Cidadania) são os candidatos à presidência da Casa; saiba como estão distribuídos os votos para a sucessão de Davi Alcolumbre por Estado e por partido

Simone está no MDB, mesma legenda do pai, desde o início da carreira política. Em 2002, foi eleita deputada estadual no Mato Grosso do Sul. Em 2004, foi escolhida como prefeita de Três Lagoas, sua cidade natal. Ficou no cargo até 2010, quando renunciou para se candidatar a vice-governadora do Estado na chapa de André Puccinelli. 

Tebet tem 50 anos e foi a primeira mulher eleita prefeita de Três Lagoas e vice-governadora do Mato Grosso do Sul. Formou-se em Direito pela UFRJ e fez Mestrado na área pela PUC-SP.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.