Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

'Quem é democrático não pode ficar chateado com manifestação', diz Maia

Presidente da Câmara dos Deputados foi alvo de protestos, assim como deputados do chamado Centrão, grupo de parlamentares que não se identifica nem com oposição nem com governo

Renato Onofre e Mariana Haubert, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2019 | 17h29

BRASÍLIA - Um dos alvos da manifestações do último domingo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que os atos são "legítimos" e quem é político não pode ficar "chateado" com atos democráticos. Maia avaliou nesta terça-feira, 28, que tanto as manifestações em apoio ao governo Jair Bolsonaro, e as ocorridas no dia 15, contra cortes na educação, mostram que a democracia brasileira está viva.

"Todo mundo é da política. E todo mundo é democrático. Quem é democrático não pode ficar chateado com manifestação. Se não, é melhor sair da política", afirmou.

Mais cedo, após reunião no Ministério da Economia, Maia admitiu que os movimentos passam mensagens que devem ser entendidas pela classe política. "Toda manifestação é legítima, democrática, mostra que a democracia está viva. Todas elas vêm com uma mensagem. Cada um tem que saber avaliar as mensagens, respeitando a posição de cada um", disse, completando: "Sempre que vem uma mensagem para a política, a política tem que estar conectada com a sociedade. Com a parte que foi domingo, com a parte que foi dia 15, com a parte que vai dia 30".

Nos atos de domingo, no Rio de Janeiro, manifestantes inflaram um boneco de Maia ao lado do "pixuleco" do ex-presidente Lula.

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    Rodrigo MaiaJair Bolsonaro

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.