?Quem defende austeridade fiscal sou eu, da oposição?, diz Miro

O líder do PDT na Câmara, Miro Teixeira (RJ), afirmou hoje que o Orçamento que está sendo discutido e que deverá ser votado na próxima semana ?é um dos piores? que já passaram pelo Congresso. Ele disse que a proposta chegou do Executivo com previsão de receita e despesa da ordem de R$ 637, 974 bilhões e sairá do Legislativo com uma previsão de receita e despesa de R$ 651,809 bilhões. ?Quem está defendendo a austeridade fiscal sou eu, da oposição?, disse o líder do PDT, numa críticadireta ao relator-geral do Orçamento, deputado Sampaio Dória (PSDB-SP), integrante da base governista. Além disso, segundo Miro Teixeira, o Orçamento está prevendo a receita integral da CPMF para o ano que vem, de R$ 19 bilhões. ?A CPMF vence em junho, mas está lançada como receita condicionada?, ressaltou o pedetista, lembrando também a inclusão nas mesmas condições de R$ 1,4 bilhão, relativa à contribuição previdenciária dos inativos. ?Até o Supremo Tribunal Federal já considerou inconstitucional essa contribuição?, destacou, acrescentando que o relator criou ?verbas genéricas que poderãoser manobradas livremente pelos ministros?. ?Esse Orçamento sairá do Congresso muito mais gordo?, completou o líder, denunciando que agora quem está exercendo o poder da obstrução é a base governista que, segundo informou, já adiou hoje três vezes areunião da Comissão do Orçamento destinada à votação dos destaques ao relatório aprovado na madrugada. ?O governo resolveu tirar mais essa bandeira da oposição,obstruindo a votação do Orçamento e montando um calendário que seus líderes desenharam. Eles agem de forma autoritária e lançam a responsabilidade sobre a oposição?, concluiu o líder do PDT.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.