Queda de Rafale foi a priori acidente, diz ministro francês

Hervé Morin avalia que, numa primeira análise, problema que derrubou caças não teve a ver com avião

estadao.com.br,

25 de setembro de 2009 | 12h03

A queda de dois caças de combate Rafale, de fabricação francesa, no Mar Mediterrâneo, na quinta-feira, 24, foi aparentemente "um acidente de voo", afirmou nesta sexta-feira, 25, o ministro da Defesa da França, Hervé Morin. A informação esta no site do jornal Le Monde. Segundo Morin, o problema "a priori, não teve a ver com o avião".

 

Veja Também

linkDois caças Rafale se chocam na França

 

Apesar disso, o ministro ressaltou que ainda é preciso esperar a investigação para se apontar a causa exata do problema. Os caças caíram aparentemente após um choque no ar, no Mar Mediterrâneo, perto da costa da França. Um piloto foi resgatado e o outro ainda está desaparecido. O acidente acontece no momento em que a França negocia a venda de 36 caças Rafale à Força Aérea Brasileira (FAB).

 

O acidente ocorreu cerca de 30 quilômetros ao leste de Perpignan, durante um voo de testes, disse um comunicado da Marinha. Os aviões decolaram do porta-aviões Charles de Gaulle.

 

Construído pela Dassault Aviation, o Rafale, que custa 50 milhões de euros, começou a ser produzido em 1998. O Brasil, se comprar os 36 Rafale, num contrato estimado em vários bilhões de dólares, se tornará o primeiro cliente estrangeiro do caça.

Tudo o que sabemos sobre:
RafaleDassaultdefesaFABFX-2

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.