Quebrado sigilo de lobista amigo de governador do TO

A Justiça determinou a quebra do sigilo bancário e o bloqueio de contas do lobista Maurício Manduca, amigo do governador do Tocantins, Carlos Gaguim (PMDB). A ordem do juiz Nelson Augusto Bernardes, titular da 3.ª Vara Criminal de Campinas (SP), alcança ainda o empresário José Carlos Cepera, que mantém negócios com a administração do peemedebista. O lobista e o empresário estão presos desde sexta-feira acusados de chefiar esquema de fraude em licitações.

AE, Agência Estado

21 de setembro de 2010 | 11h02

O nome de Gaguim é citado em interceptações telefônicas autorizadas judicialmente em investigação do núcleo Campinas do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), braço do Ministério Público Estadual. Os dados relativos a ele foram enviados para o Superior Tribunal de Justiça (STJ), corte que tem competência para eventual abertura de inquérito.

A promotoria suspeita que pessoas próximas a Gaguim frequentavam uma mansão no bairro Nova Campinas que servia de base da organização criminosa. A investigação mostra que o imóvel, protegido por policiais civis, era uma "casa do lobby". Os contatos políticos e as fraudes, segundo a promotoria, eram articulados por Manduca.

Gaguim busca a reeleição e lidera as pesquisas de intenção de voto. Ele atribui a vinculação de seu nome a adversários políticos e nega negócios ilícitos com os empresários presos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.