Quebrado sigilo bancário de entidades do reverendo Moon

Todas as contas bancárias da Associação para Unificação das Famílias e Paz Mundial estão desde esta segunda-feira sem sigilo. A entidade é presidida pelo coreano Sun Myung Moon, de 83 anos, mais conhecido por reverendo Moon, epreocupa as autoridades brasileiras por causa da expansão rápida da entidade dentro do Brasil, principalmente em Mato Grosso do Sul onde comprou, nos últimos três anos, 56 fazendas no Pantanal todas fazendo divisa com o Paraguai.O procurador de Moon no Estado, Neudir Simão Ferabolli,disse que a organização gastou R$ 35,5 milhões na compra de terras em MS.A quebra do sigilo bancário foi autorizada pelo juiz federalOdilon de Oliveira, baseado em denúncias feitas pelo Ministério Público Federal, entre elas a de lavagem de dólares e ameaça à soberania nacional. O pedido feito pelo superintendente regional da Polícia Federal, Wantuir Jacine, visa a facilitar as investigações.Segundo depoimento anexado ao inquérito policial o coreano Jai Siki Kim, ex-funcionário de Moon, afirma terauxiliado pessoalmente o reverendo a "lavar dólares noBrasil".A movimentação bancária do Cene (Clube Esportivo NovaEsperança) será uma das primeiras a serem investigadas. Fundado em dezembro de 1999, é um time profissional e deve estrear quarta-feira na Copa Brasil, jogando contra o Vitória da Bahia, no Estádio Morenão, em Campo Grande.Também o Atlético de Sorocaba (SP), categoria A-3, será investigado. O reverendo Moon quer que os dois times se igualem tecnicamente ao Schumma Soccer Team da Coréia do Sul, campeão nacional naquele país em 1995 e1996.PreocupaHá dois anos ele comprou Puerto Casado, uma cidade paraguaia na divisa com Porto Murtinho (MS), com seis mil habitantes e uma extensão de 350 mil hectares. Esse negóciocausou preocupação inclusive para o CMO (Comando Militar do Oeste), que passou a monitorar as atividades da seita Moon em MS. Os hotéis fazenda Salobra e Americano em Miranda e Porto Murtinho, respectivamente, são da mesma organização.Em São Paulo, onde está instalada a sede nacional daAssociação para Unificação das Famílias e Paz Mundial, na Rua Cardeal Arcoverde (Pinheiros), Moon possui dezenas de padarias, restaurantes típicos japoneses, uma loja de pedras preciosas e semipreciosas e a Granja New Hope, sediada em São Bernardo do Campo.Sobre a decisão do juiz Odilon de Oliveira, o procuradorda entidade em Mato Grosso do Sul, Neudir Simão Ferabolli, disse que não vai apelar contra. "As autoridades que fiquem à vontade para investigar tudo o que precisam saber. Não temos nada a esconder", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.