Quebra de sigilo de Maluf chega ao MP

O Ministério Público Estadual começou a analisar hoje os documentos com a relação de todas as ligações telefônicas feitas, desde 1994, pelo ex-prefeito Paulo Maluf, por sua mulher Sylvia Lutfalla Maluf, pelos quatro filhos do casal (Flávio, Otávio, Lina e Lígia) e por uma das noras, Jacquelline. Os documentos foram entregues pela Embratel, Telesp Celular e BCP Telecomunicações ao juiz-corregedor do Departamento de Inquéritos Policiais de São Paulo, Maurício Lemos Porto Alves, que os encaminhou ao Ministério Público.No último dia 20, acolhendo requerimento do Ministério Público, o juiz-corregedor havia decretado a quebra do sigilo telefônico do ex-prefeito e de seus familiares. O Ministério Público investiga a suposta existência de ativos, que somariam mais de US$ 200 milhões, em nome de Maluf e de seus familiares nas ilhas de Jersey, paraíso fiscal localizado no Canal da Mancha. A quebra do sigilo alcança, exclusivamente, telefonemas internacionais. Com isso, os promotores esperam encontrar provas de ligações de Maluf com bancos em paraísos fiscais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.