Quatro senadores se licenciam para cuidar de campanha

Quatro senadores que disputam cargos eletivos no pleito deste ano anunciaram ontem que vão se licenciar dos mandatos por quatro meses: Ideli Salvatti (PT-SC) e Raimundo Colombo (DEM-SC), que concorrem ao governo de Santa Catarina, e José Agripino Maia (DEM-RN) e Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), que buscam a reeleição. Todos pediram dias de licença-médica e mais 120 dias para tratar de assuntos particulares - brecha em que se enquadra a dedicação à campanha eleitoral.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

08 Julho 2010 | 12h52

A estratégia de acrescentar licença-médica aos dias para tratar de assuntos particulares garante a convocação do suplente. O artigo 56 da Constituição Federal prevê que o suplente seja convocado somente em caso de licença superior a 120 dias.

A licença-médica da líder do governo no Congresso, Ideli Salvatti, começa hoje e vai até o dia 10. A partir de 11 de julho ela terá mais 118 dias para cuidar da campanha. O início da licença da petista coincidiu com a votação final do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Uma das principais atribuições do líder governista no Congresso é conduzir essa votação.

Adversário de Ideli na campanha, Raimundo Colombo obteve licença para cuidar da saúde de 8 a 13 de julho. A partir do dia 14, entra de licença para fins particulares. José Agripino estará de licença-médica de 15 a 17 de julho. A partir do dia seguinte ele terá 118 dias para cuidar de interesses particulares. E Garibaldi Filho terá licença-médica de 15 a 20 de julho - ele terá 115 dias a partir do dia 21.

As datas e os prazos das licenças foram fornecidos pela Secretaria Geral da Mesa do Senado. Com as licenças, serão convocados para tomar posse os primeiros-suplentes: Belini Meurer, vereador em Joinville (SC), na cadeira de Ideli; João Faustino, na vaga de Garibaldi Filho; o agropecuarista José Bezerra de Araújo Júnior, no lugar de José Agripino; e Casildo Maldaner, na vaga de Colombo.

Mais conteúdo sobre:
eleição senadores licença campanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.