ANDRE DUSEK/ESTADAO
ANDRE DUSEK/ESTADAO

Quatro parlamentares desistem de auxílio-mudança após reportagem do Estadão

Matéria divulgada nesta quinta-feira, 29, apontou gasto de R$ 20 milhões com benefício a parlamentares reeleitos, que devem receber em dobro, mesmo já residindo em Brasília

Camila Turtelli, Renan Truffi e Mariana Haubert, O Estado de S.Paulo

29 Novembro 2018 | 18h27

BRASÍLIA – Aos menos outros quatro parlamentares divulgaram nesta quinta-feira, 29, que vão rejeitar o auxílio mudança, após reportagem do Estadão mostrar que o Congresso deve gastar R$ 20 milhões com o benefício para parlamentares reeleitos que devem permanecer em Brasília.

Entre os que devem rejeitar estão o senador Eduardo Braga (MDB-PA), o deputado Major Olímpio (PSL-SP) que foi eleito para o Senado, o senador Oriovisto Guimarães (Pode-PR) e a deputada eleita Joice Hasselmann (PSL-SP). “Tive a desagradável surpresa de saber que o Senado Federal paga a cada senador eleito R$ 33,7 mil como ajuda de custo no início e no final do mandato”, disse Oriovisto. “Esse benefício é uma vergonha”, afirmou, em nota, Major Olímpio.

Já a senadora Ana Amélia (PP-RS) disse que encaminhou na terça-feira, 27, ofício à Diretoria-Geral do Senado solicitando que não seja pago a ela o benefício. 

O montante apresentado pela reportagem leva em conta o valor do benefício, de R$ 33,7 mil, equivalente a um salário. Ele deverá ser pago em dobro aos oito senadores e 270 deputados reconduzidos ao cargo, além dos quatro senadores que vão para Câmara e dos 16 deputados que fazem o caminho inverso. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.