Quase dois milhões de eleitores podem ter o título cancelado

Levantamento parcial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) revela que houve apenas 168.603 regularizações do título de eleitor em todo o País, equivalente a 8,89% do total de 1.896.813 pessoas que não votaram nem justificaram ausência nas últimas três eleições consecutivas. O prazo terminou na última quinta-feira. Quem não está em dia com a Justiça eleitoral não pode tirar o CPF, tomar posse em concurso público, tirar passaporte, tomar empréstimo em bancos do governo ou renovar matrícula em instituições públicas de ensino.Os eleitores que não regularizaram a situação e querem evitar o cancelamento do título devem procurar o cartório eleitoral. No entanto, terão de abrir um processo e juntar a documentação necessária ao requerimento, que será julgado pelo juiz eleitoral. Essa tramitação exige mais tempo do que o pedido efetuado no prazo regular. O cadastro será reaberto para futuras regularizações no próximo dia 14 de maio. A revisão dos títulos passíveis de cancelamento é realizada a cada dois anos - sempre em ano não eleitoral - para atualização do cadastro nacional de eleitores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.