Qualis passa para prefeitura paulistana até junho

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, pretende concluir, até junho, a transferência do Programa de Saúde da Família para a prefeitura paulistana. Conhecido como Qualis, o projeto é voltado para o atendimento básico de saúde. Com a descentralização do sistema, por lei, esse tipo de assistência deve ser municipal. Segundo Alckmin, a transição será gradual e começa neste mês. A prefeitura de São Paulo também receberá os recursos previstos para o Qualis. "São cerca de R$ 6 milhões por mês, provenientes do governo federal", disse. O governador lembrou que já foram transferidos 220 postos de saúde do Estado para a prefeitura paulistana.Criado em 1994 pelo Ministério da Saúde, o Programa de Saúde da Família começou a ser implantado em 1996 no Estado de São Paulo pelo governo de Mário Covas. Alckmin criticou indiretamente as gestões municipais de Paulo Maluf e Celso Pitta, ao frisar que, há seis anos, a prefeitura recusou-se a implantar o projeto, porque priorizava o Plano de Assistência à Saúde (PAS).PlataformaO Qualis é considerado uma das iniciativas positivas desta gestão. Por isso, como pré-candidato do PSDB à eleição para governador, em outubro, Alckmin afirmou que transfere o programa à prefeitura "com dor no coração". Observou, contudo, que a decisão não pode desrespeitar a lei em prol de interesses políticos. "A nova política não deve ser personalista, e sim de Estado", ressaltou.O governador também mostrou-se confiante quanto à capacidade da gestão municipal manter o nível de qualidade. "Estamos conversando para que se mantenha o atendimento", declarou. Ele também afastou a hipótese de que a falta de médicos comprometa o programa. Primeiro, porque as equipes são montadas a partir de parcerias com universidades e hospitais. "Os salários oferecidos também estão acima da média", completou.DesempregoNesta manhã, Alckmin participou da festa de seis anos do Qualis em São Paulo, realizada no Sesc Itaquera. Durante seu discurso, alguns manifestantes estenderam faixas, criticando o possível corte de vagas que a transferência do programa poderia causar, bem como a ausência de outros incentivos.O governador garantiu que negocia, com a Prefeitura, a manutenção das atuais equipes. "Seria um desperdício dispensá-las, pois já estão treinadas", disse. Atualmente, o Qualis atende 900 mil pessoas na cidade. As equipes são compostas por médico, enfermeira, um ou dois auxiliares de enfermagem e até seis agentes comunitários. Cada uma atende cerca de mil famílias.O Qualis baseia-se em parcerias com entidades públicas e privadas, responsáveis pela formação e coordenação das equipes. Irmandade Santa Marcelina, Fundação Zerbini, Congregação Santa Catarina e Universidade Santo Amaro são os parceiros do projeto na cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.