'Qual é o problema?', pergunta o coordenador sobre foto com Maluf

Indagado sobre o fato de Maluf ser procurado pela Interpol, Donato respondeu: 'Quem cuida da ficha da Interpol é a Justiça brasileira e o Ministério Público, não sou eu'

Fernando Gallo - O Estado de S. Paulo ,

20 Junho 2012 | 17h12

SÃO PAULO - "Qual é o problema?". com essa pergunta, o coordenador da campanha do pré-candidato Fernando Haddad (PT), Antônio Donato, respondeu aos questionamentos sobre a visita do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, junto com Haddad, à casa do deputado Paulo Maluf (PP) para a formalização da aliança com o PT.

A ação gerou a desistência da deputada Luiza Erundina (PSB) à vice do ex-ministro. Donato sustentou que o clima negativo criado na campanha é passageiro: "É uma coisa momentânea. Evidente que cria um ruído na campanha, mas que tende a ser superado. As alianças se mantiveram, o que é o mais importante".

Indagado sobre o fato de Maluf ser procurado pela Interpol, Donato respondeu: "Quem cuida da ficha da Interpol é a Justiça brasileira e o Ministério Público, não sou eu. É a eles que o Maluf deve explicação". Donato declarou que Maluf "não terá um papel protagonista na campanha". O coordenador admitiu que existe uma contradição política na coligação com o PP. "O nosso sistema político gera aparentes contradições ou efetivas contradições, mas isso é próprio do sistema político. Quem está neste jogo tem que jogar o jogo que existe, e não o que o mundo ideal, que não existe", afirmou.

Donato disse que o PT não terá dificuldades para justificar à militância do partido as contradições oriundas da coligação com o PP. "Sinto que é fácil explicar e as pessoas entenderem", disse.

 

Mais conteúdo sobre:
Eleições 2012 PT Haddad Maluf Lula São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.