Quadrilha acusada de fraudar o INSS no Amazonas é presa

A Polícia Federal prendeu nesta quinta-feira 12 pessoas acusadas de integrar uma quadrilha especializada em fraudar o INSS. Entre os presos está o gerente executivo do INSS em Manaus, Alexandre Sampaio Caxias e a mulher dele, Lilian Barreto Lima. Cerca de 100 policiais federais participaram da operação na capital amazonense. Apenas o secretário de Finanças da prefeitura de Humaitá, Hélio Coelho de Melo, permanece foragido.A fraude tinha a participação de gente de dentro do INSS e de prefeituras do interior do Amazonas. O desvio era feito dos recursos destinados pela União para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Antes de fazer o repasse do dinheiro do FPM era feito o recolhimento dos benefícios do INSS. Nesse momento, os envolvidos aumentavam os valores. O passo seguinte era entrar em contato com as prefeituras e informar que haviam retido um valor maior do imposto, mas que a liberação aconteceria em troca de uma comissão.Além do gerente executivo do INSS e da mulher dele, a PF prendeu outras pessoas conhecidas na sociedade amazonense. Entre eles, Emídio Rodrigues Neto, agente administrativo do INSS e representante da prefeitura de Coari em Manaus. Também estão presos o ex-prefeito de Coari, Getúlio Rodrigues Lobo, e Olga Clotilde Rodrigues Molinari, agente de portaria do INSS, que fazia contato com as prefeituras municipais e cuidava da negociação, segundo a PF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.