PV lança Marina Silva como candidata à Presidência nesta quinta-feira

Meta é dar visibilidade ao partido e conquistar pelo menos o dobro vagas do partido na Câmara dos Deputados em relação a 2006

Carol Pires, do Estadão.com.br

09 de junho de 2010 | 18h40

BRASÍLIA - O PV lança a senadora Marina Silva (AC) na corrida pela Presidência da República, nesta quinta-feira, 10, em Brasília, com a meta de dar visibilidade ao partido e conquistar pelo menos o dobro vagas do partido na Câmara dos Deputados em relação a 2006. Marina aparece com 9% das intenções de voto, segundo levantamento do Ibope feito a pedido do jornal O Estado de S.Paulo e da TV Globo. José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) têm, cada um, 37% das preferências dos eleitores.

 

O presidente o PV do Rio de Janeiro, Alfredo Sarkis, que deixou nesta quarta-feira a coordenação da campanha de Marina Silva para se dedicar à própria campanha para deputado federal, afirma que a perspectiva do partido é eleger entre 20 e 25 deputados federais. O deputado Zequinha Sarney (MA) pensa mais alto: "A gente acha que pode ir de 25 a 30 deputados eleitos. E não é uma avaliação otimista, nem pessimista. É realista". De 2002 para 2006, o PV quase triplicou a bancada federal, quando passou de cinco para 14 deputados federais.

 

Em 2002, o PV lançou foram sete candidatos a deputado distrital, quatro a governador, e 12 a senador. Ninguém do partido foi eleito para estes cargos. Para deputados distritais, 363 concorreram sendo que 10 ganharam mandato. Os quatro deputados federais eleitos pelo partido receberam, juntos, 1,1 milhão de votos (1,3% dos votos válidos). O quinto elemento, o deputado Zequinha Sarney, foi eleito pelo PFL (que depois virou DEM) e pouco antes da posse migrou para o Partido Verde.

 

Já em 2006, o PV lançou 26 candidatos a deputado distrital, três a governador de estado e oito a senador, e não elegeu nenhum filiado. Para deputado estadual foram 603 candidatos e 28 eleitos. Naquele ano foram eleitos 13 deputados pelo PV de 331 concorrentes lançados na disputa. Juntos, os deputados federais receberam 3,4 milhões de votos - 3,647% dos votos válidos. Com a chegada de Luiz Bassuma no ano passado, a bancada, hoje, tem 14 deputados.

 

Alfredo Sirkis afirma ainda que a perspectiva do partido aumentar a bancada, mas também aumentar o número de eleitos engajados na causa ambiental. "Na última eleição parte da bancada não tinha um perfil totalmente verde", admite o presidente do PV-RJ. No início do mandato, por exemplo, o deputado Marcelo Ortiz (SP) desbancou Zequinha Sarney da liderança do partido. Na época, Ortiz, que dedicou a maior parte de sua vida à advocacia como procurador de Guaratinguetá e do Estado de São Paulo, disse que ele ajudava a mudar a imagem do partido. "Antes, achavam que o PV era um partido que só plantava florzinha e tinha muito 'viado' e maconheiro", disse.

 

Zequinha Sarney, presidente da Frente Parlamentar Ambientalista na Câmara dos Deputados, afirma que o fato de Marina Silva, ex-ministra do Meio Ambiente, ter se filiado ao partido para disputar a presidência e o aumento do interesse das pessoas em geral sobre a causa ambiental cooptou novos filiados ainda mais engajados no assunto. Assim, na avaliação do deputado, a bancada do próximo ano deve ser um cara mais ambientalista que esta. "Agora, virão mais candidatos engajados, egressos de organizações. Dá pra dizer que melhorou a qualidade das filiações", concluiu.

 

Relembre a trajetória de Marina Silva até a indicação pelo PV para disputar a presidência:

 

Abril de 2009 - A Executiva Nacional do PV começa a discutir a possibilidade de uma candidatura própria à presidência.

 

Maio de 2009 - Marina Silva, ainda filiada ao PT, pede demissão do ministério do Meio Ambiente, cargo que ocupava desde o primeiro mandato do presidente Lula.

 

Julho de 2009 - A cúpula do PV se reúne com Marina Silva para convidá-la a ingressar no partido e disputar a corrida pela sucessão de Lula.

 

Agosto de 2009 - Marina deixa o PT, onde havia começado a carreira política 30 anos antes, quando se elegeu vereadora no Acre.

 

Agosto de 2009 - Sob os gritos de "Brasil urgente, Marina presidente!", Marina Silva assina a ficha de filiação ao Partido Verde, em São Paulo.

 

Outubro de 2009 - A ex-senadora Heloísa Helena e Marina Silva começam a discutir a possibilidade de o PSOL apoiar o Partido Verde na disputa pela presidência.

 

Janeiro de 2010 - Ao fechar aliança com o PSDB em torno da candidatura de Fernando Gabeira (PV) ao governo do Rio de Janeiro, o PV perde o apoio do PSOL, que decide lançar Plínio de Arruda Sampaio na corrida presidencial.

 

Maio de 2010 - PV lança o empresário Guilherme Leal como candidato a vice-presidente na chapa encabeçada por Marina Silva.

 

Junho de 2010 - Convenção Nacional confirma a chapa Marina-Leal como postulantes a presidente e vice presidente da República

Tudo o que sabemos sobre:
PVMarina SilvaPresidênciaRepública

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.