Paulo Vitor/AE
Paulo Vitor/AE

PV esconde Marina Silva em lançamento de Gabeira

Dirigentes verdes não queriam irritar o PSDB, já que candidatura do deputado à sucessão estadual também conta com o apoio de José Serra

Luciana Nunes Leal, de O Estado de S.Paulo,

23 Maio 2010 | 17h08

RIO - Preocupados em não confrontar o PSDB, o DEM e o PPS, que apoiam a candidatura presidencial do tucano José Serra, militantes do PV cobriram o nome da senadora Marina Silva escrito nas faixas do partido, durante o lançamento da pré-candidatura do deputado verde Fernando Gabeira ao governo do Estado. A festa reuniu os quatro partidos da aliança.

 

O nome da pré-candidata do PV à Presidência que estava em pelo menos quatro faixas estendidas no salão foi apagado de última hora, com fitas adesivas e até com panfletos que tinham fotos de Gabeira. As faixas do PPS, PSDB e DEM não faziam referência a Serra.

 

Integrantes do PV disseram ter sido orientados a não explicitar o nome de Marina, em respeito à diversidade da coligação. Gabeira, ao contrário, disse não haver qualquer problema em citar a pré-candidata nas faixas. "Era perfeitamente permitido. Todo mundo mencionou Marina", disse o deputado.

 

O próprio Gabeira, no entanto, preferiu um discurso voltado para temas locais e não citou o nome da senadora.

 

Gabeira falou de Serra uma vez, ao lembrar as ações de tratamento da aids desenvolvidas no período em que o tucano foi ministro da Saúde. "A Marina estava presente em todo meu discurso porque é um discurso ecológico. Não é a citação verbal da Marina. Ela é a minha candidata", disse Gabeira em entrevista.

 

Embora não estivessem presentes, Serra e Marina foram muito citados nos discursos. Defensores das duas candidaturas minimizaram possíveis problemas pelo fato de o pré-candidato a governador ter o apoio de dois adversários na disputa nacional.

 

O presidente do PSDB carioca, Luiz Paulo Corrêa da Rocha, falou claramente sobre o duplo apoio a Gabeira. "Temos dois palanques presidenciais. Quem votar 45 (número do PSDB) está votando na nossa aliança. Quem votar 43 (número do PV) também está votando na nossa aliança", afirmou. O candidato a vice, Márcio Fortes (PSDB), foi na mesma linha: "Vamos à vitória apoiando a candidatura de José Serra e, através do PV, de Marina Silva".

 

Elogios. Pré-candidato ao Senado pelo PPS, o ex-deputado Marcelo Cerqueira fez elogios a Marina Silva e campanha para Serra. "Esse homem tem uma vida limpa, é um ficha limpa. Nós somos Serra presidente, Gabeira governador", declarou.

 

Já o presidente nacional do PV, José Luiz Penna, disse que o partido "não tem vocação hegemônica, defende o poder compartilhado" e tomou a decisão "salutar" da candidatura própria para evitar a tese da eleição polarizada entre Serra e a pré-candidata do PT, Dilma Rousseff.

 

"Estamos em campanha franca pela pré-candidatura (de Marina), mas precisávamos pensar nas alianças regionais. Para nossa alegria, Gabeira se dispôs a se candidatar", afirmou Penna.

 

O pré-candidato ao governo citou os problemas iniciais enfrentados pela aliança, quando o presidente regional do PV, vereador Alfredo Sirkis, liderou um movimento pela saída do DEM da coligação, para evitar a parceria com Cesar Maia. "Nossa coligação começou um pouco desajeitada. Me lembra um pássaro do Pantanal, o tuiuiú. Quando se move, parece que não vai conseguir levantar voo, mas depois voa mais alto que os outros", disse o pré-candidato.

 

O deputado falou sobre propostas que vai defender na campanha, como a ampliação dos transportes sobre trilhos. "Vamos ter que romper a cumplicidade dos políticos com empresa de ônibus. Não é possível que um punhado de velhacos que recebe dinheiro mensalmente consiga impedir o avanço nos transportes", afirmou.

 

Sirkis e Gabeira se desentenderam, por causa da insistência do vereador em lançar uma candidatura avulsa ao Senado, da vereadora Aspásia Camargo. Nem Sirkis nem Aspásia foram à festa da coligação. "Não senti falta porque ele avisou que tinha um trabalho importante para fazer. Com um amigo que quarenta anos você encontra sempre e, quando tem algum problema, sempre pensa que daqui a alguns anos vai rir disso. Com certeza, nós vamos rir", disse Gabeira.

Mais conteúdo sobre:
Gabeira Rio Pré-candidato Nacional Política

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.