PV cobrará compromissos 'verdes' assumidos por Dilma

Passadas as eleições, o PV não definiu se pretende migrar para a base governista da presidente eleita Dilma Rousseff (PT), ou da oposição, encabeçada por PSDB e DEM. Segundo o ex-candidato do PV ao Senado, Ricardo Young, os verdes vão agora cobrar o cumprimento dos pontos programáticos assumidos por Dilma e contribuir para sua realização. "Ninguém deve se furtar de contribuir com o governo. Seja do PSDB, seja do PT, não importa. O importante é que a natureza da contribuição deve obedecer os princípios programáticos", disse Young, durante seminário sobre mudanças climáticas realizado hoje pela Bolsa de Valores de São Paulo na capital paulista.

CIRCE BONATELLI, Agência Estado

03 de novembro de 2010 | 15h45

O ex-candidato admitiu que houve conversas entre PT e PV após o pleito de domingo, mas afirmou que ainda é muito cedo para se tomar alguma decisão sobre apoio ou oposição. Ele reiterou, porém, que não haverá nenhum tipo de colaboração baseado em troca de cargos ou interesses eleitorais.

Segundo Young, o PV irá agora cobrar a realização dos pontos da agenda verde assumidos pelos petistas. "Haverá cobrança sim. O PV é um espaço crítico permanente." Entre esses pontos estão a reforma política, a regulamentação da lei nacional de mudanças climáticas e o veto a concessões do Código Florestal que favoreçam o desmatamento. "A Dilma assumiu compromisso com quase todos os pontos programáticos do PV", lembrou.

Ricardo Young também negou que a atuação do PV no período pós-eleitoral sofra algum reflexo da decisão de Fábio Feldman e Fernando Gabeira, ex-candidatos ao governo de São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente, que apoiaram José Serra (PSDB) no segundo turno da corrida presidencial. "O que é agenda verde do Estado de São Paulo será discutido com o governo estadual, e o que é agenda verde do País, será discutido com o governo federal", afirmou.

O ex-candidato do PV não comentou quais devem ser suas funções no partido após as eleições, mas afirmou que continuará cumprindo individualmente com a agenda de desenvolvimento sustentável. Young disse que pretende atuar com a senadora Marina Silva (PV), com o Partido Verde e com o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, no qual é conselheiro.

Tudo o que sabemos sobre:
ambientePVRicardo YoungDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.