Puccinelli não vê retaliação de Dilma por apoiar Serra

O governador reeleito de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), disse hoje que "a noiva largou o noivo errado no altar", ao comentar os resultados do segundo turno das eleições deste ano. Esclarecendo a frase, lembrou a vitória de José Serra (PSDB) no Estado, com vantagem de pouco mais de 120 mil votos sobre Dilma Rousseff (PT). "Ela me largou plantado esperando no altar. Eu fiz a minha opção, apoiando o Serra. Nós mostramos que temos prestígio para mudar resultados". Puccinelli disse que não acredita em retaliação pelo apoio que deu ao ex-candidato tucano e que não vai à cerimônia de posse de Dilma. "Não foi o meu candidato, seria muito ''puxasaquismo''."

JOÃO NAVES DE OLIVEIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO, Agência Estado

02 de novembro de 2010 | 15h05

As declarações foram feitas durante visita que fez pela manhã ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (Cras). Na sexta-feira passada, um filhote de onça pintada de 50 quilos fugiu do local, e ainda não foi capturado. O Cras está situado a menos de um quilômetro do gabinete do governador. Ele disse que se o felino invadir seu local de trabalho, não terá medo. Pegadas encontradas hoje pela Polícia Militar Ambiental, indicam que a onça ainda está percorrendo o Parque dos Poderes, centro político administrativo do Estado.

Desde a fuga do bicho, o Parque das Nações Indígenas, uma área ecológica com teatro de arena, concha acústica, além de outros equipamentos para shows, que faz divisa com o Cras, continua fechado ao público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.