Puccinelli: Código Florestal deve respeitar diferenças

O governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), considerou extremamente positiva a aprovação pela Câmara dos Deputados do novo Código Florestal. Ele também minimizou uma eventual crise na base de apoio do governo da presidente Dilma Rousseff. Na avaliação dele, a discussão em torno do tema teve a participação de todos os setores da sociedade e não apenas da base de apoio. O governador ponderou, contudo, que o texto, que ainda vai para o Senado, precisa ser discutido e aperfeiçoado.

GUSTAVO URIBE E DAIENE CARDOSO, Agência Estado

25 de maio de 2011 | 11h14

"Há pontos que precisam ser melhorados. Não pode se aplicar no Pará o que vai se aplicar em Santa Catarina" disse Puccinelli, ao participar na capital paulista do BIOSforum, evento que discute o desenvolvimento sustentável no País.

O governador avaliou que a anistia aos desmatadores tem de ser proporcional, levando-se em conta o tamanho das propriedades. De acordo com ele, há muitas diferenças entre um produtor de um módulo rural de 2,5 hectares e de um que possua um módulo de 5 mil hectares. "É importante estudar caso a caso", afirmou. "Não criminalizaria. Obrigaria, como governo, aquele produtor a reflorestar, num prazo mínimo possível."

Puccinelli considerou positiva também a medida que concede aos Estados a participação na regulamentação ambiental, mas ressaltou que o debate deve ser ampliado e envolver também os municípios. "Tem de ter participação de municípios, Estados e governo federal", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.