Publicidade do governo será feita por 3 agências em 2008

A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República divulgou hoje que o bolo publicitário anual de R$ 150 milhões será repartido entre as agências de publicidade Propeg, Matisse e 141/SoHo Square. O contrato é de 12 meses, mas pode ser renovado por mais quatro anos. As três agências foram selecionadas por uma comissão especial de licitação da Presidência numa lista de 30 empresas. O anúncio oficial será feito logo depois do carnaval, quando acaba o prazo para recursos e impugnações.A Propeg, que ficou em primeiro lugar, com 93,84 pontos num total de 100, sempre esteve na mira do PT da Bahia, que acusa a empresa de ser vinculada à família do senador Antonio Carlos Magalhães, que morreu em julho de 2007. Em segundo lugar, aparece a Matisse, com 88,17 pontos, do publicitário Paulo de Tarso Santos, que fez campanhas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A multinacional 141/SoHo Square, com 87 pontos, foi a terceira na concorrência pública. A agência não tem tradição em contas publicitárias de órgãos públicos.Na fase de análise das propostas, duas agências foram desclassificadas por terem se identificado. Outras 21 não conseguiram atingir 80 pontos. O secretário de Comunicação Integrada da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, José Otaviano Pereira, disse que é natural a discussão de "aspectos políticos" em torno do resultado da concorrência.Pereira ressaltou, porém, que, desta vez, a secretaria orientou as candidatas a apresentarem propostas "apócrifas" para que os membros da comissão de licitação não soubessem a identidade das concorrentes. "Entendemos que isso eliminou dúvidas e deu transparência ao processo", afirmou. A comissão foi formada por três profissionais da área de propaganda do governo e funcionários de carreira do setor de licitação da administração federal.PropegA Propeg faz contratos em Brasília desde o governo José Sarney (1985-1990). Com tradição em campanhas políticas e institucionais, a agência apresentou à comissão um material baseado em pesquisa de campo. "Se o PT baiano tem problema comigo, eu não tenho problema com o PT baiano", disse o presidente da Propeg, Fernando Barros. Das três vencedoras da licitação, a 141/SoHo Square é a única que ainda não faz ações publicitárias para o Poder Executivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.