PTB vai abrir processo de expulsão contra Maia

A Executiva Nacional do PTB decidiu abrir um processo de expulsão contra o prefeito do Rio, César Maia, por "infidelidade partidária". A informação foi dada pelo presidente nacional do partido, deputado José Carlos Martinez (PTB-PR). "Ele fica o tempo inteiro namorando o PFL; ou veste a camisa do PTB ou está fora" atacou Martinez. A decisão do partido foi tomada na última quarta-feira.A reportagem entrou em contato com a assessoria de Imprensa da prefeitura carioca para que Maia comentasse o assunto, mas não obteve retorno.Martinez diz que ficou especialmente incomodado quando Maia não compareceu à recepção, organizada pelo próprio Martinez, em Brasília, para o ex-ministro da Fazenda Ciro Gomes.Na reunião, de acordo com Martinez, estavam presentes dirigentes do PPS e do PTB.O PTB fechou na semana passada apoio à pré-candidatura de Ciro Gomes. "O César Maia foi um dos grandes incentivadores do apoio a Ciro, mas, enquanto estávamoos em minha casa, ele jantava na casa do deputado Heráclito Fortes (PFL-PI), em Brasília, com outros integrantes do PFL", contou. "Ele preferiu o PFL à nossa companhia."Entretanto, segundo um outro cardeal petebista, os desentendimentos entre Maia e o líder do PTB na Câmara, Roberto Jefferson (RJ), seria outro motivo para a abertura do processo de expulsão.Jefferson confirma que o desentendimento existe. "Se ele não está satisfeito, que vá embora. O que não pode é desgastar o partido internamente", disse.Para se justificar, Jefferson cita a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, na qual a bancada petebista apoiou o presidente da Casa, Aécio Neves (PSDB-MG). Na ocasião, segundo o deputado, Maia declarou preferência pelo líder do PFL na Câmara dos Deputados, Inocêncio Oliveira (PE), declarando, publicamente, que o coração dele era do PFL.Martinez informou que o processo de expulsão tem um prazo de 60 dias, com direito a defesa. Depois, a Comissão de Ética da legenda deve tomar uma decisão.Um petebista confidenciou que Maia iria para o PFL, e o PTB estaria tentando trazer o ex-prefeito do Rio Luiz Paulo Conde (PFL) para concorrer ao governo do Estado pela legenda em 2002.Jefferson confirmou que convidou Conde a entrar na sigla e "disputar o cargo que quiser". Conde admite que recebeu um convite do PTB. "Fiquei muito honrado, mas recusei", declarou. Ele afirmou que não pretende deixar o PFL.Martinez informou também que a direção do PTB decidiu "fechar questão quanto ao voto aberto". A decisão deve ser ratificada na convenção nacional da agremiação, no dia 16, e pretende obrigar todos os deputados e senadores petebistas a revelarem os votos em sessões sigilosas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.