PTB diz que permanência de Dirceu "beira a insustentabilidade"

O líder do PTB na Câmara, José Múcio Monteiro (PE), afirmou que o governo federal está "paralisado" em função das crises surgidas com o caso Waldomiro Diniz. Questionado se o ministro José Dirceu deveria deixar a Casa Civil, José Múcio respondeu: "A cidade toda só fala na saída de José Dirceu. Gosto de Dirceu e o considero uma vítima, mas a situação está quase beirando a insustentabilidade. Todo dia tem um problema". Ao falar de paralisia governamental, José Múcio afirmou: "Faz dois meses que nós não falamos em governar. Não se conhece uma grande obra em andamento. Nós todos dependemos do sucesso desse governo e queremos ajudar". Perguntado se seria melhor para o governo a saída do ministro, o líder do PTB disse que não poderia fazer essa avaliação. "Não sei se seria melhor para o governo ou para ele (Dirceu), mas acho que a gente não pode continuar com esse negócio se arrastando. Precisa parar com isso e começar a trabalhar." Segundo o líder, o governo nada está devendo ao PTB. "A não ser o Brasil que nos prometeu", disse. Comentou que o primeiro ano do governo Lula foi "duríssimo" e que, no segundo ano, seria a materialização do crescimento e do desenvolvimento, mas o que se está vendo é o problema do governo dentro de sua própria base. "Todos achávamos que havia um projeto e que, quando o time entrasse em campo, estaria articulado, mas estamos ainda montando a equipe", reclamou José Múcio. Ele disse também que a saída do deputado Miro Teixeira da liderança do Governo se deve à "paralisia" do governo e à falta de articulação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.