PTB decide em convenção incorporar o PSD

O PTB, que integra a base de sustentação do futuro governo, formalizou hoje a incorporação do PSD, em convenção realizada em Brasília. Com a fusão, o novo Partido Trabalhista Brasileiro (que conservará o nome) passará a ter 30 deputados e quatro senadores a partir de 1º de fevereiro, quando serão diplomados os parlamentares eleitos em outubro. Desse modo, o partido atinge a cota mínima de 5% dos votos para garantir a sobrevivência da legenda.Antes da convenção, o PTB tinha apenas 4,6% da totalidade de votos da última eleição. Na Câmara, no entanto, o PTB terá ainda uma bancada menor do que a atual, de 33 parlamentares. É que em outubro o PTB elegeu apenas 26 deputados. No Senado, a bancada permanecerá do mesmo tamanho. Em fins de janeiro, o atual secretário da Câmara, deputado Severino Cavalcanti (PPB-PE), deve se filiar ao PTB.A fusão foi oficializada pelos presidentes do PTB, deputado José Carlos Martinez (PR), e do PSD, Nabi Abi Chedid. A comissão executiva do novo PTB ficará com Martinez. O PTB pleiteia cargos no futuro governo, de Luiz Inácio Lula da Silva, mas, segundo o deputado Roberto Jefferson (RJ), líder do partido na Câmara, manterá sua identidade. "Somos diferentes do PT e é essa diferença que nos tornará unidos", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.