PTB condena 3º mandato, mas libera senadores para CPMF

Partido fecha questão contra eventual proposta de alteração na lei que permita a Lula se reeleger

João Domingos, do Estadão,

28 de novembro de 2007 | 14h26

Terminou nesta quarta-feira, 28, em Brasília, a reunião da Executiva Nacional do PTB. Os dirigentes do partido aprovaram decisão de fechar questão contra eventual proposta de alteração na lei eleitoral para que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva possa concorrer a um terceiro mandato.   O partido aprovou também diretriz contrária à prorrogação da vigência da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), mas autorizou seus senadores - que já se desligaram do Bloco da maioria governista - a votarem como quiserem quando a emenda constitucional sobre o assunto for apreciada no plenário do Senado. Na semana passada, por decisão unânime, a bancada do senado do PTB abandonou o bloco governista.   Veja também:    Entenda a cobrança da CPMF   Oposição se reúne para 'traçar mapa' de votos contra CPMF  Para evitar derrota da CPMF, governo monta 'sala de situação'  Oposição se reúne para 'traçar mapa' de votos contra CPMF  Lula só discute Minas e Energia após negociação sobre CPMF A gota d'água para o rompimento, segundo alguns senadores, foi o afastamento de Mozarildo Cavalcanti (RR) da Comissão de Constituição e Justiça que examinou a questão da CPMF. Mozarildo tinha se declarado contra a prorrogação do imposto e foi substituido pela petista Ideli Salvati (SC).     PR também liberado   O líder do PR no Senado, senador João Ribeiro (TO), e o senador Expedito Júnior (PR-RO) na última terça,  que a bancada de quatro senadores do partido decidiu esperar a votação da emenda de prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) para tomar uma decisão em relação à permanência ou não da bancada no Bloco da Maioria governista.   Eles disseram que não querem que a decisão da bancada fique atrelada à votação da CPMF. Por isso, os quatro senadores do PR foram liberados para votar contra ou a favor da emenda.   Após a reunião desta terça dos quatro senadores do PR, João Ribeiro e Expedito Júnior foram comunicar o resultado ao ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, que é filiado ao PR. Ribeiro e Expedito explicaram que a decisão de permanecer ou não no Bloco governista independe do resultado da votação da CPMF.    

Tudo o que sabemos sobre:
PTBCPMF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.