Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

'PT votando no PSDB e PSDB votando no PT. Essa é a nossa triste realidade!', diz Janaína

Deputada do PSL derrotada na corrida à presidência da Alesp criticou coalizão de partidos para garantir vitória do tucano Cauê Macris

Carla Bridi, O Estado de S.Paulo

15 de março de 2019 | 21h45

Após derrota para o tucano Cauê Macris na corrida à presidência da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), a deputada Janaína Paschoal (PSL) escreveu em sua conta no Twitter que não vai "esquecer os nomes" e não vai "deixar o povo esquecer", referente à união do PT ao PSDB para garantir a derrota do PSL no comando da Casa. 

Janaína era a candidata do partido, e garantiu 16 votos contra 70 de Cauê, que conseguiu o apoio de 21 partidos, entre eles PT e PSB. A deputada escreveu que a "triste realidade" é ver o "PT votando no PSDB e PSDB votando no PT". Ela também afirma que não sabe se seguirá na Política. Janaína foi a deputada estadual mais votada da história, com mais de 2 milhões de votos, o suficiente para garantir uma vaga na Câmara dos Deputados. 

As críticas também foram direcionadas aos membros das bancadas religiosas e da bancada da segurança pública, que segundo ela, votaram em candidatos petistas contrários às suas bandeiras. "Os membros das bancadas religiosas, ao que tudo indica, também votarão no PT, partido declaradamente favorável ao aborto. Depois,não venham fazer discurso a favor da vida". 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.